Notícias

< Voltar

Que bacana! Neguinho elege seu sucessor na Beija-Flor

Mais veterano entre os cantores do Carnaval carioca, Neguinho da Beija-Flor não dá nem pinta que a aposentadoria esteja batendo à porta. Pelo contrário, o cantor, aos 66 anos, segue conduzindo com o brilhantismo de sempre o carro de som da escola de Nilópolis. Mesmo assim, a hora de guardar o microfone na gaveta vai chegar para um dos filhos mais fieis da azul e branco.

E já pensando na passagem de bastão, Neguinho quer manter o comando do carro de som em casa, ali mesmo no seio familiar da Beija-Flor. Nessa lógica, uma cria de Nilópolis foi escolhida pelo decano para dar seguimento ao trabalho dedicado por mais de quatro décadas à escola que é “de fato nilopolitana”

Pra não perder o costume dessa história gloriosa, Neguinho continua enfileirando troféus na estante de casa. E na noite deste domingo, 13, durante entrega do “Estrela do Carnaval”, prêmio do site Carnavalesco que exalta os melhores da festa, o dono da voz mais famosa da Sapucaí, que foi eleito o melhor cantor de 2016 pelo veículo, anunciou em pleno palco da quadra do Salgueiro, na Zona Norte do Rio, onde a festa foi realizada, o nome do seu sucessor na Beija-Flor: se trata de Gilson Conceição Júnior, o Bakaninha.

– O Bacaninha vai ser meu sucessor. Um dia, vou ter que parar. E ele será meu sucessor. É nascido e criado na Beija-Flor. É dedicado, tem bom comportamento, não bebe, não fuma, é respeitador. Tem outros grandes cantores, mas ele é o que acho que tem todos os predicados pra, um dia, me substituir – decretou Neguinho, que está curado do Zika Vírus, em conversa com o Sambarazzo

O jovem puxador, que compõe a equipe de cantores de apoio da Beija-Flor desde 2009 e dá suporte para Neguinho na Avenida, é filho de Gílson Bacana, que já fez de tudo um pouco na azul e branco e também é intérprete na escola. Bakaninha ainda é neto de Vicente, um dos primeiros mestres de bateria da representante de Nilópolis, cidade da Baixada Fluminense. Em 2016, o futuro sucessor de Neguinho foi cantor oficial do Arame de Ricardo, agremiação que desfila na Série B do Carnaval carioca.

Em dezembro do ano passado, durante a festa de lançamento do CD das escolas de samba do Grupo Especial versão 2016, Neguinho conversou com a equipe do Sambarazzo e, em tom de brincadeira, mostrou-se disposto a superar a longevidade artística de Jamelão, lendário intérprete mangueirense.

– O Jamelão cantou até os 95. E ele fumava seu cigarrinho, tomava seu conhaquezinho. Eu não bebo e não fumo, devo ir até os 100 – projetou Neguinho.

Fonte: http://sambarazzo.com.br/

Postado por Camarote Brasil em 14/03/2016 às 20:11

Você vai gostar de ler